Multiways

Exportação

Exportações somam US$ 4,840 bi na quarta semana de nove
27 de Novembro de 2018

A balança comercial brasileira registrou déficit de US$ 1,12 bilhão na quarta semana de novembro de 2018, que teve cinco dias úteis. O saldo é resultado de exportações no valor de US$ 4,840 bilhões e importações de US$ 5,960 bilhões, com destaque para a aquisição de uma plataforma de petróleo no valor de US$ 2,2 bilhões. No mês, as exportações somam US$ 17,060 bilhões e as importações, US$ 13,631 bilhões, com superávit de US$ 3,428 bilhões. No ano, o saldo também é positivo: US$ 51,064 bilhões, com exportações de US$ 216,139 bilhões e importações de US$ 165,075 bilhões.

 

A média das exportações da quarta semana chegou a US$ 968 milhões, 20,8% abaixo da média de US$ 1,2 bilhão até a terceira semana, em razão da diminuição nas exportações das três categorias de produtos: manufaturados (-38%, de US$ 530,3 milhões para US$ 329,2 milhões), semimanufaturados (-12,2%, de US$ 149,9 milhões para US$ 131,6 milhões) e básicos (-6,4%, de US$ 541,5 milhões para US$ 506,9 milhões).

 

Do lado das importações, houve crescimento de 55,4%, na comparação com a média da quarta semana (US$ 1,2 bilhão) sobre a média até a terceira semana (US$ 767,1 milhões), explicado, principalmente, pelo aumento nos gastos com adubos e fertilizantes, aeronaves e peças, combustíveis e lubrificantes, equipamentos mecânicos e químicos orgânicos e inorgânicos.

 

Análise do mês

 

Nas exportações de novembro, comparadas as médias até a 4ª semana (US$ 1,137 bilhão) com a de novembro de 2017 (US$ 834,2 milhões), houve crescimento de 36,3%, em razão do aumento nas vendas de produtos básicos (51,3%, motivadas, principalmente, pelo aumento das vendas de petróleo em bruto, soja em grãos, algodão em bruto, minérios de ferro e seus concentrados e milho em grãos), produtos manufaturados (36,8%, graças ao aumento dos embarques de plataformas de perfuração ou de exploração, gasolina, óleos combustíveis, partes de motores e turbinas para aviação e tubos flexíveis, de ferro ou aço e semimanufaturados (14,1%, por conta do aumento na venda da venda de madeira em estilhas ou em partículas, ferro-ligas, madeira serrada ou fendida, produtos semimanufaturados de ferro/aços e celulose). Relativamente a outubro de 2018, houve crescimento de 13,7%, em virtude do aumento nas exportações de manufaturados (30,9%), semimanufaturados (8,1%) e produtos básicos (4,4%).

 

Nas importações, a média diária até a quarta semana (US$ 908,8 milhões) ficou 38,3% acima da média de novembro do ano passado (US$ 657,1 milhões). Nesse comparativo, cresceram os gastos, principalmente, com adubos e fertilizantes (106%), combustíveis e lubrificantes (27,8%), químicos orgânicos e inorgânicos (25,5%), veículos automóveis e partes (11,3%) e equipamentos mecânicos (6%). Comparado com outubro, houve crescimento de 24,1%, pelo aumento de gastos em bebidas e álcool (57%), adubos e fertilizantes (28,4%), siderúrgicos (22,6%), equipamentos eletroeletrônicos (10,8%) e veículos automóveis e partes (7,6%).

 

Fonte: Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços - MDIC

Planeta Sustentável